Voltar

Conheça os dez finalistas do 13º Prêmio Barco a Vapor

30 de junho de 2017 Ouvir o texto

“A literatura humaniza em sentido profundo, porque faz viver”. Do legado deixado pelo crítico literário Antonio Candido, talvez o conceito de direito à literatura destaque-se pela profunda mudança de paradigma que propõe, colocando a literatura no rol das condições essenciais à vida. Entre outras questões, a humanização está na possibilidade, criada pela narrativa, de vivenciar a experiência do outro. A literatura permite ver e escutar o outro, viver suas angústias e desejos, colocar-se a partir de um ponto de vista diferente, desautomatizar e rever posturas e pensamentos solidificados. Possibilita, ainda, o exercício da imaginação, tão necessário para a disrupção e ampliação de horizontes. Esses são alguns dos pontos que respondem à questão sobre por que incentivar a leitura literária entre crianças e jovens. A partir da literatura, os pequenos podem conhecer um pouco mais da vida, percebendo, desde cedo, que esta não se resume às necessidades individuais.

É por isso que comemoramos os mais de 1.300 originais encaminhados ao 13º Prêmio Barco a Vapor de Literatura Infantil e Juvenil, uma iniciativa promovida pela Fundação SM, em parceria com a Edições SM, que tem como objetivo “estimular a produção literária nacional e aproximar as crianças e os jovens da literatura”. Se depender dos autores, o que não vai faltar é história para que crianças e jovens exercitem bastante a inventividade. “Recebemos uma leva de originais rica no âmbito da novela e do romance, com recriações livres de contos de fadas, literatura de fantasia, etc. Quanto aos temas, chama a atenção o boom de assuntos contundentes, de cunho sociopolítico e ético. Entre eles, histórias de imigrantes e refugiados, de desastres ambientais, de não pertencimento ou exclusão, de discriminação e de preconceito”, conta a Editora Executiva de Literatura e Informativos da Edições SM, Graziela Ribeiro dos Santos.

As dez obras finalistas do Prêmio, que revelamos a seguir, passaram pelo crivo de um júri formado por especialistas em literatura. Segundo Santos, os principais critérios adotados para nortear a escolha dos textos finalistas foram “originalidade na abordagem do tema, apuro estilístico e formal, coerência narrativa e adequação do texto ao público visado (infantil ou juvenil)”.

Premiação

Além de ter seu original publicado no selo da Coleção Barco a Vapor, o vencedor do 13º Prêmio Barco a Vapor de Literatura Infantil e Juvenil receberá um adiantamento, a título de direitos autorais, no valor de R$ 40 mil.

Conheça os finalistas!

 

finalistas

Para mais informações, acesse o novo site do Prêmio Barco a Vapor.

Marina Colasanti vence XIII Prêmio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil

Matéria 11/09/2017

Concurso anual reconhece e valoriza atuação de escritores voltados para o público infantojuvenil

Saiba mais

Especialistas debatem educação no século XXI em roda de conversa aberta ao público

Matéria 05/09/2017

Evento acontecerá em livraria de São Paulo, no próximo dia 24 de setembro

Saiba mais

E se os professores pudessem contar com a gente?

Artigo 05/09/2017

Em artigo inédito, Cinthia Rodrigues, coordenadora do Quero na Escola, fala sobre a experiência do Quero na Escola Professor, iniciativa realizada em parceria com a Fundação SM.

Saiba mais

Prêmio Professores do Brasil tem inscrições prorrogadas

Matéria 29/08/2017

Prazo de inscrição dos relatos de práticas pedagógicas vai até 4 de setembro

Saiba mais

Atitude de mudança e participação dos estudantes: uma poderosa combinação

Matéria 26/08/2017

Professor certificado pelo Google dá dicas para ampliar a participação em sala de aula

Saiba mais

Ver mais notícias